NUTRIÇÃO

Terceira idade

Segundo a Organização Mundial da Saúde, o idoso é aquela pessoa com mais de 65 anos em paises industrializados e mais de 60 anos em países em desenvolvimento. O aumento dessa população está ocorrendo no mundo todo em decorrência de uma melhor qualidade de vida e de avanços da ciência e da tecnologia na área da saúde.

As principais causas de morte entre idosos podem ser prevenidas com medidas simples. As complicações causadas pela hipertensão arterial, diabetes e problemas cardíacos, por exemplo, podem ser minimizadas através de uma alimentação balanceada e individualizada. Existem alguns cuidados importantes que devem ser levados em contar no momento de elaborar um plano alimentar para os idosos, que em geral necessitam de medicamentos que podem prejudicar a absorção de nutrientes importantes. O adequado fornecimento de energia, vitaminas e minerais é fundamental para evitar doenças, melhorar o sistema imunológico e até mesmo prevenir o envelhecimento precoce. Além disso, a textura, a temperatura e o aroma dos alimentos devem ser levados em conta, pois com o passar do tempo, há diminuição do paladar e alterações dentárias, o que pode prejudicar a ingestão dos alimentos.

Nutrição na atividade física

Para uma vida saudável, é necessário aliar o exercício físico a uma dieta balanceada que contenha todos os nutrientes necessários em quantidades adequadas. O objetivo da alimentação para quem pratica uma atividade física é preparar o organismo para o esforço e fornecer os nutrientes necessários para a recuperação após o exercício. A ingestão alimentar do praticante de atividade física é individualizada e depende do tipo, intensidade e duração do exercício além de variar de acordo com os objetivos individuais, sejam eles a hipertrofia muscular, a melhora de performance, a perda de peso ou a melhoria da qualidade de vida.

A avaliação antropométrica (aferição de peso, altura e dobras cutâneas) é uma ferramenta importante para o monitoramento das alterações corporais decorrentes da ingestão alimentar e do treinamento.

Nutrição infantil

Para uma vida saudável, é necessário aliar o exercício físico a uma dieta balanceada que contenha todos os nutrientes necessários em quantidades adequadas. O objetivo da alimentação para quem pratica uma atividade física é preparar o organismo para o esforço e fornecer os nutrientes necessários para a recuperação após o exercício. A ingestão alimentar do praticante de atividade física é individualizada e depende do tipo, intensidade e duração do exercício além de variar de acordo com os objetivos individuais, sejam eles a hipertrofia muscular, a melhora de performance, a perda de peso ou a melhoria da qualidade de vida.

A avaliação antropométrica (aferição de peso, altura e dobras cutâneas) é uma ferramenta importante para o monitoramento das alterações corporais decorrentes da ingestão alimentar e do treinamento.

Obesidade

O sobrepeso e a obesidade afetam milhões de pessoas no Brasil e no mundo, inclusive crianças, e está relacionada com o aumento do risco de aparecimento de outras doenças como diabetes, hipertensão, câncer e doenças cardiovasculares. A facilidade de adquirir alimentos, a grande diversidade de alimentos disponíveis no mercado, os avanços tecnológicos, o estresse e o sedentarismo favorecem o agravamento da obesidade.

O quadro de obesidade instala-se quando há um desequilíbrio entre a quantidade de calorias ingeridas pela dieta e a quantidade de energia gasta durante o dia. Quando a energia ingerida é maior que a energia gasta durante um longo período de tempo, há aumento do peso corporal. Uma alimentação equilibrada e individualizada visando uma reeducação alimentar, aliada a uma prática regular de atividade física, favorece a perda de peso e a melhoria da qualidade de vida.

Alimentação na gravidez

Deve-se dar muita atenção na alimentação da gestante desde o início da gravidez, e se possível até mesmo antes da gestação. O planejamento das refeições tem por objetivo suprir as necessidades adicionais de energia e nutrientes, para que o organismo suporte as exigências metabólicas da gravidez, sem um ganho de peso excessivo. A necessidade energética diária da grávida é individualizada e varia de acordo com a idade, nível de atividade física e peso pré-gestacional, além do estágio da gestação.

Uma alimentação bem planejada proporciona uma melhor qualidade de vida para a mulher e um adequado crescimento do bebê durante toda a gestação.

Alimentação no pós-parto

A alimentação equilibrada é igualmente importante no pós parto e na amamentação, pois durante este período há um aumento das necessidades energéticas do organismo para a produção do leite. E o maior gasto calórico neste período, aliado a uma alimentação balanceada, favorece a perda do peso adquirido durante a gravidez.

Envio de Interesse